Pesquisadoras cofundadoras

Angela Maria Farah (Centro Universitário União da Vitória – UNIUV)

Professora do Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv) desde 2002, nas habilitações em Relações Públicas, Jornalismo e Publicidade e Propaganda. Doutora em Ciências da Comunicação, pela Universidade de São Paulo (USP), com a tese “A criança em situação de rua na imprensa paranaense: a construção social nos deslocamentos semânticos”. Mestre em Comunicação e Linguagens, pela Universidade Tuiuti do Paraná (UTP). Autora do livro “A imagem da criança na imprensa: um estudo dos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo”. Coordena o projeto de pesquisa de Iniciação Científica na Uniuv “A infância e a adolescência na imprensa de União da Vitória – PR e Porto União – SC: uma leitura cultural”, desde 2019. Atua principalmente nos seguintes temas: jornalismo, reportagem,  narrativas, infâncias, adolescências, criança em situação de rua.


Brenda Guedes (UFPE)

Doutora e Mestra em Comunicação pelo PPGCOM da Universidade Federal de Pernambuco, com experiência sanduíche junto à Universitat Pompeu Fabra, em Barcelona Espanha; Bacharela em Comunicação – Publicidade e Propaganda pela Universidade de Fortaleza. Organizadora dos livros Infâncias, Juventudes e debates emergentes em Comunicação (2020); Comunicação e Infância (2017) e Culturas Infantis do Consumo (2014). Autora no livro Publicidade e Consumo: Entretenimento, Infância, Mídias Sociais (2016). Pesquisadora integrante dos GPs PHiNC – Publicidade Híbrida e Narrativas de Consumo (UFPE/CNPq) e ESC – Ética na Sociedade do Consumo (UFF/CNPq). Tem experiência na área de comunicação, com ênfase nos estudos sobre a relação que se estabelece entre Mídia e Infância, atuando principalmente com as seguintes temáticas: infância, publicidade, consumo, mídias e literacia publicitária. 


Inês Vitorino Sampaio (UFC)

Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas | UNICAMP, com estágio em Programa de Doutorado Sanduíche na Westfälische Wilhelms Universität Münster (Alemanha). Realizou, ainda, estágio Pós-doutoral na Université du Québec à Montréal | UQÀM (Canadá). Foi vice-presidente e secretária geral da Associação Nacional de Pós-Graduação em Comunicação – COMPÓS (biênios 2014-2015 e 2011-2013). É docente do curso de Publicidade e Propaganda e do Programa de Pós Graduação em Comunicação do Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará | UFC. Atua como vice-coordenadora do LabGRIM – Laboratório de Pesquisa da Relação Infância, Juventude e Mídia (UFC/CNPq) e é autora e coautora de vários livros, como Televisão, Publicidade e Infância (2000) e Qualidade na Programação Infantil na TV Brasil (2012).


Juliana Doretto (PUC-Campinas)

Professora e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Linguagens, Mídia e Arte e do curso de jornalismo da Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Doutora em Comunicação e Informação pela Universidade Nova de Lisboa, autora da tese “Fala connosco: o jornalismo infantil e a participação das crianças, em Portugal e no Brasil”. Mestre em Ciências da Comunicação, pela Universidade de São Paulo. Foi repórter de vários suplementos da Folha de S.Paulo e do portal UOL. É autora de “Pequeno leitor de papel: um estudo sobre jornalismo para crianças” (Alameda, 2013). Jornalista Amiga da Criança, título concedido pela Andi-Comunicação e Direitos, desde 2021. Atualmente, pesquisa o consumo de jornalismo por adolescentes.


Lidia Marôpo (Instituto Politécnico de Setúbal)

Professora adjunta no Instituto Politécnico de Setúbal (Portugal) e investigadora integrada no Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais da Universidade Nova de Lisboa | CICS.NOVA. É doutorada em Ciências da Comunicação pela UNL e pós-doutorada com bolsas individuais da Fundação para a Ciência e a Tecnologia de Portugal | FCT. Sua pesquisa aborda principalmente a relação entre crianças, jovens e os media, com foco especial nas culturas digitais nos últimos anos. Tem participado em projetos e redes internacionais como COST Action Transforming Audiences, Transforming Societies e ySKILLS, ambos financiados por fundos europeus. Tem publicado em revistas nacionais e internacionais como Journal of Children and Media e Communication & Society e em editoras como Palgrave e Routledge. 


Maria Clara Sidou Monteiro (UFRGS)

Doutora em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. É publicitária, especialista em Teorias da Comunicação e Imagem e mestre em Comunicação pela Universidade Federal do Ceará. É autora do livro “Crianças e consumo digital: a publicidade de experiência na era dos YouTubers” (Editora Appris, 2020). Pesquisadora dos grupos de pesquisa, certificados pelo CNPq: ESC – Ética na Sociedade do Consumo (Universidade Federal Fluminense / UFF) e LabGrim – Laboratório de Estudos da Relação Infância, Juventude e Mídia (UFC). Pesquisa sobre publicidade, infância e mídias sociais. Tem experiência profissional nas áreas de criação, redação publicitária e social media.


Pâmela Craveiro (UFMT)

Professora e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Mato Grosso. Possui pós-doutorado em Mídia e Cotidiano pela Universidade Federal Fluminense. É mestre e doutora em Comunicação pela Universidade de Vigo. Autora da tese “Juegos y publicidad online: estudio de la recepción de anuncios en juegos en línea por niños brasileños y españoles. É líder do grupo de pesquisa OPSlab – Laboratório de Estudos e Observação em Publicidade, Comunicação e Sociedade (UFMT/CNPq) e participa do ESC – Ética na Sociedade do Consumo (UFF/CNPq) e LabGrim – Laboratório de Estudos da Relação Infância, Juventude e Mídia (UFC / CNPq). Atualmente, desenvolve pesquisa sobre o potencial da literacia publicitária para promoção de cidadania comunicativa no âmbito da educação básica e coordena o projeto de iniciação científica sobre a infância e a juventude como objetos de estudo no campo da Comunicação. 


Renata Tomaz (UFF)

Pós-doutoranda no Programa de Pós-graduação em Mídia e Cotidiano (PPGMC), da Universidade Federal Fluminense, onde atuou como professora substituta do Departamento de Estudos Culturais e Mídia. Integrante do projeto Digitalização e Democracia no Brasil (FGV DAPP). Doutora e mestre em Comunicação e Cultura pela E UFRJ, onde concluiu a graduação em Jornalismo. Pesquisadora dos grupos Ética na Sociedade de Consumo; Comunicação, Sociedade e Mídia Digital e do Núcleo de Estudos de Mídia, Emoções e Sociabilidade, inscritos no CNPq. Editora da revista Mídia e Cotidiano e da DESidades. Autora dos livros “Da negação da infância à invenção dos tweens: imperativos de autonomia na sociedade contemporânea” (Appris) e “O que você vai ser antes de crescer? Youtubers, Infância e Celebridades” (EdUFBA). Tem experiência em jornalismo impresso, on-line e eletrônico. Os interesses de pesquisa envolvem mídia, infância, juventude, subjetividades contemporâneas, culturas digitais, maternidade e redes sociais.


Saraí Schmidt (Feevale)

Professora permanente dos Programas de Pós-Graduação Processos e Manifestações Culturais e Inclusão Social e Diversidade Cultural da Universidade Feevale. Coordena o grupo Criança na Mídia: Núcleo de Estudos em Comunicação, Educação e Cultura. Possui doutorado e mestrado em Educação na linha dos Estudos Culturais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Coordenadora do Comitê Científico (2018-2021) do GT Educação e Comunicação da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Educação. Pesquisa mídia, educação, infância, discriminação. Desenvolve a formação de professores da escola básica junto a Secretaria Municipal de Educação de Novo Hamburgo sobre a infâncias, mídia e discriminação. Coordenou o projeto de extensão Nosso Bairro em Pauta, tendo como foco infâncias, mídia e educação, Integrou o projeto Comunicação e Ação na Escola. Participa o projeto de extensão Cidade Vida: Intervenção Urbana como Ato Comunicacional.


Thaís Furtado (UFRGS) 

Professora permanente do curso de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professora do Departamento de Comunicação da UFRGS e líder do Nupejor (Núcleo de Pesquisa em Jornalismo). Doutora em Comunicação e Informação pela mesma universidade, autora da tese “O jornalismo infantil e o desejo de consumo: o discurso da revista Recreio”. Mestre em Letras, na área de Análise do Discurso, pela UFRGS. Foi repórter e subeditora da revista Veja e editora do jornal Zero Hora. Atualmente, pesquisa a presença e a ausência da voz das crianças em revistas brasileiras.